Nossa filosofia 

O que pensamos sobre o ator e o ensino da arte:

O Indac quer primeiro formar artistas. Junto, mas em segundo, o Indac quer formar profissionais da arte da interpretação. Isso, em resumo, é o nosso vasto mas simples objetivo. E a proposta que norteia nossa filosofia de ensino.

No Indac o processo é direcionado para o auto-conhecimento e para a construção do estilo pessoal, aqui a formação da personalidade artística e a consciência de si e são essenciais. Assim, além de preparar tecnicamente, queremos fortalecer o indivíduo tanto culturalmente, como emocionalmente.

O espaço mais generoso para a arte do ator é hoje, como sempre foi, o teatro, e é para ele que é voltado essencialmente o processo de aprendizado da escola. Pois, como é notório no meio artístico, um bom intérprete de teatro tem a preparação mais completa para atuar em qualquer veículo de expressão que precise de um ator.

E o artista que domina o palco pode atingir níveis de interpretação que só uma profunda base artística permite. Assumir essa verdade conhecida pelos principais profissionais da área é uma das razões do reconhecimento do Indac pelo meio artístico.

Por outro lado, a escola tem um profundo e íntegro respeito pela interpretação para a câmera, seja para o cinema ou para a televisão, e aborda as diferenças de linguagem que a interpretação para a câmera exige, tanto de forma teórica como prática, levando o aluno a estudá-las em sua verdadeira dimensão, sem explorar isso em propaganda enganosa.

Competências que buscamos

 Um breve resumo das experiências que propomos aos alunos

  • Teoria e prática da interpretação.
  • Conhecimento, domínio e linguagem pessoal de corpo.
  • Conhecimento, domínio e linguagem pessoal da própria voz
  • Prática de Maquiagem como criação de personagem.
  • Prática de figurino e caracterização pessoal.
  • Domínio de leitura e análise de texto.
  • Noções da composição de um papel a partir do texto para o palco e para a câmera.
  • Formação de uma base teória a partir do estudo de métodos vivos e usados hoje, visando um senso crítico e pessoal do aluno/artista.
  • Estímulo constante para criar e ampliar uma bagagem cultural de literatura, artes plásticas, música e tudo que se relacione a interpretação, seja teatro ou os meios da interpretação para a câmera.
  • Desenvolver a escrita e criação de texto e personagem num processo de criação coletiva.
  • Prática de Montagem de textos clássicos.
  • Prática de Montagem de textos dramáticos.
  • Prática de Montagem e criação de personagens cômicos.
  • Exercício de montagem de cunho experimental.
  • Exercício de montagem baseada na expressão corporal.
  • Diversos processos de técnicos de interpretação distribuídos ao longo de várias disciplinas em todos os semestres.
  • Noção geral do processo de uma encenação, que inclui a função da cenografia, iluminação e sonoplastia.
  • Noções de atuação para a câmera e suas linguagens.
  • Vivência da produção de peças.
  • Durante todo o curso há atividades extra-curriculares e o incentivo constante a exercícios paralelos feitos pelos alunos.